Gestos artísticos em tempo de crise

O debate Gestos artísticos em tempos de crise aconteceu dentro do Congresso Virtual da UFBA,  contou com a participação de Ines Linke, Lia Krucken, Lucas Feres, Lucas Lago e  Marcelo Terça-Nada e pode ser visto na íntegra no vídeo acima.  (Se o vídeo não aparecer, clique aqui para assistir.)

Quais são os gestos artísticos possíveis nas atuais crises? O que esses gestos projetam para o futuro? O que gestos artísticos de crises passadas podem nos ensinar sobre o presente? Continuar lendo

Casa NEXO abre suas portas e janelas em SP!

casa-nexo
Clique na imagem para ampliar

A Casa NEXO é o espaço físico da nova iniciativa da artista e articuladora Flávia Vivacqua. Sua inauguração acontece no sábado 23 de março de 2013 em São Paulo e contará com trabalhos do Poro, Bijari, Eduardo Verderame e Leo Gonçalves.

CASA NEXO CULTURAL surge com a visão de criar um lugar de convergência de uma diversidade de pessoas e conhecimentos voltados a Arte, Cultura Colaborativa e Sustentabilidade em todas as suas dimensões, gerando então um territorio de influências a partir do contato direto com o contexto local e vizinhança, as redes sociais e profissionais de outros lugares, saberes e culturas.

CASA NEXO abre suas portas e janelas para conteúdos, atividades e parcerias que promovam o encontro entre diferentes na busca por complementaridade, gerando um ambiente acolhedor onde os diálogos, a arte e a experimentação criativa, a aprendizagem, a resiliência comunitaria, praticas ambientalmente justas, e novos modos de organização social podem acontecer de forma a nutrir uma comunidade de pratica colaborativa e sustentável.

Saiba mais: www.casanexocultural.com.br

Novo site do Poro está no ar

O Poro completou 10 anos de atuação e, dentro das comemorações, preparou um site novinho em folha: www.poro.redezero.org

Veja alguns destaques do novo site:

As intervenções urbanas do Poro serão publicadas aos poucos no site, com várias fotos inéditas, acesse o site e cadastre seu email para receber as intervenções e outras novidades: www.poro.redezero.org

*Agradecemos a todos que puderem ajudar a divulgar o novo site!

E-Book de entrevistas sobre Arte&Ativismo

Insurgências poéticas: arte ativista e ação coletiva [Entrevistas]

Insurgências poéticas [Entrevistas]
Clique para baixar o livro (PDF 162pg)

As entrevistas editadas neste e-book foram realizadas pelo pesquisador André Mesquita entre 2005 e 2007, e fazem parte da pesquisa realizada para o livro Insurgências poéticas: arte ativista e ação coletiva, publicado pela editora Annablume em 2011. As entrevistas apresentam tamanho, conteúdo e percurso variados, e não foram dispostas de maneira cronológicas, mas de acordo com os teóricos, coletivos e artistas citados durante os capítulos do livro.

O e-book contém entrevistas com: Gregory Sholette, Geert Lovink, Guerrila Girls, ACT UP, Beatriz da Costa, subRosa, Yomango, The Yes Men, Mark Dery, Stewart Home, Adbusters, Negativland, BUGA UP, Billboard Liberation Front, Carly Stasko, Jorge Rodriguez-Gerada, Mario Ramiro, Poro, Entorno, Grupo de Interferência Ambiental, Graziela Kunsch, Contrafilé, Frente 3 de Fevereiro, A Revolução Não Será Televisionada, Cia. Cachorra, Fabiane Borges, Esqueleto Coletivo, Mariana Cavalcante.

3º Festival de Intervenções Artísticas do Recôncavo (Bahia)

De 29 de fevereiro a 3 de março de 2012,  festival reúne atividades artísticas e coletivas que vão interagir com a paisagem histórica e a vida cultural da região

Mais do que uma série de oficinas e intervenções, o FIAR 3 é o Encontro de Redes de Artes Visuais no Recôncavo Baiano. A programação traz artistas, grupos, performances, trocas de ideias e experimentações que promovem ações artísticas integradas à atmosfera local. Em sua terceira edição, o festival acontece de 29 de fevereiro e 3 de março nas cidades de Cachoeira e São Félix.

“’Fiar é fazer rede, e o FIAR 3 se propõe como um festival de intervenções no qual os residentes são alicerces de redes artísticas em suas localidades. Justamente por entender que em outro momento esses grupos já realizaram um mapeamento de grupos e artistas individuais em seus territórios de origem, cabendo ao festival proporcionar um espaço de encontro de redes, na construção de um contexto mais amplo de produção e circulação artística”, explica Tininha Llanos, curadora e produtora executiva do festival. Continuar lendo